Federações de Agricultura e Pecuária reúnem-se em Brasília

postado em: Notícias | 0

Ampliar a coleta de informações sobre o agronegócio brasileiro para facilitar a elaboração de políticas públicas que assegurem o crescimento do setor agropecuário. Foi com este objetivo que representantes de 14 federações estaduais de agricultura e pecuária reuniram-se nesta terça-feira (12/08) em Brasília. Todas as federações foram convidadas para estarem nesta terça-feira na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Em parceria com instituições públicas e privadas, a CNA já acompanha uma série de indicadores econômicos. A maioria deles são nacionais. A intenção agora é ampliar estas análises, trabalho que será feito conjuntamente com as federações estaduais.

Há interesse de detalhar para os estados os estudos sobre o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio e sobre o Valor Bruto da Produção (VBP). Os representantes de alguns estados ponderaram, durante a reunião, que essas informações são essenciais para a formulação de políticas públicas.

Outra proposta foi a elaboração de um estudo para avaliação e comparação da performance (Agribenchmark) das culturas do projeto Campo Futuro em cada região analisada pelos técnicos.

Durante reunião conduzida pelo coordenador de Assuntos Econômicos da Superintendência Técnica (SUT) da CNA, Renato Conchon, coordenadores, economistas e assessores das federações apresentaram a realidade da agropecuária de cada estado. E também os entraves locais e nacionais ao crescimento do setor. Ajustes na política agrícola, deficiências de logística e custos de produção, entre outros, foram temas debatidos hoje.

A questão tributária também foi abordada pelos participantes. Sobre o tema, Conchon defende que o Sistema CNA avalie a possibilidade de criação de uma agenda positiva com propostas para desoneração tributária na produção de alimentos e insumos agropecuários.

Segundo ele, a carga tributária brasileira incidente sobre o setor é extremamente elevada, em comparação a outros países. “Os alimentos processados têm alíquota de 35% e os in natura, de 22%, enquanto a média internacional está em apenas 7%”, outra questão a ser abordada é o acumulo de créditos tributários na aquisição de insumos, máquinas e implementos agrícolas, destacou.

Diante da relevância destes temas para o setor agropecuário, foi definida a formação de um grupo de trabalho com representantes da CNA e das federações para discutir regularmente as questões de interesse do setor rural, especialmente as econômicas. “O momento é de fortalecer a agropecuária para crescermos juntos”, afirmou Conchon.

Representantes das federações de agricultura e pecuária do Mato Grosso, Tocantins, Minas Gerais, Ceará, Pará, Paraná, Santa Catarina, Goiás, São Paulo, Bahia, Alagoas, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Maranhão participaram da reunião.

Fonte:  Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =