Felipão acaba com ‘boatos’ e garante que fica no Grêmio após título perdido

postado em: Notícias | 0

Após perder a final do Gauchão para o Internacional por 2 a 1, neste domingo (03), o técnico Luiz Felipe Scolari tratou de abafar os rumores de sua saída do Grêmio. Disse que segue integrado ao projeto feito a longo prazo e que 'há interesses' nas notícias divulgadas de sua saída. 

"Quem está escrevendo são pessoas ligadas a outro grupo que não o meu. Sempre surge uma coisinha. Se ganhar, sai, se perder, morre. É sempre isso ou aquilo. Não me dirijo através de ninguém que não eu mesmo ou o Acaz (Felleger, assessor de imprensa). Vocês me ouviram dizer que eu ia sair? Nunca ouviram. São fofocas de pessoas interessadas em plantar algo ruim. Vai sair, não vai, eu nunca disse isso. Não ouçam, não leiam, não acreditem. Há muitos interesses diferentes do Grêmio", explicou Felipão. 
 
Em campo, o Internacional saiu vencedor após abrir 2 a 0 no primeiro tempo, e sofrer um gol no minuto final da etapa inicial. No segundo tempo, os vermelhos administraram o placar e ergueram a taça no 2 a 1 pela quinta vez seguida. 
 
Felipão admitiu, após a semifinal do Gauchão, ter recebido proposta do futebol chinês. Não recuou, mas disse não aos interessados, segundo sua manifestação neste momento. 
 
"As pessoas da minha amizade querem que eu saia. Mas tem uma série de situações e um contexto diferente. Se o Grêmio e as pessoas que trabalham comigo entenderem assim, temos que seguir. É isso que vou fazer. Se quisesse ganhar dinheiro, tinha saído na terceira semana. Eu vim ficar dois anos e meio porque é minha opção. Daqui a três meses, terei toda minha família aqui [em Porto Alegre]. Vou largar minha casa? Meu clube? São notícias plantadas por A, B ou C", explicou. 
 
Derrotado, o Grêmio completa cinco anos sem um título sequer. E vê o Inter romper marcas históricas, como  o pentacampeonato que volta a ser realidade após 42 anos. A reapresentação do grupo ocorre na manhã de terça-feira. O próximo compromisso será a estreia no Brasileirão, diante da Ponte Preta, domingo, às 11h (horário de Brasília). 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =