Grêmio usa exemplo do Boca e quer criar ‘Bairro Tricolor’ próximo à Arena

postado em: Notícias | 0
O Grêmio quer pintar o entorno da Arena de azul, branco e preto. Utilizando o exemplo do que ocorreu com o bairro de La Boca, onde fica o estádio de La Bombonera, do Boca Juniors, onde os prédios próximos são predominantemente azuis e amarelos, o Tricolor quer revitalizar os bairros Humaitá, Farrapos e Navegantes tornando as cercanias a porta de entrada para seu estádio. 
 
O projeto foi apresentado aos líderes comunitários dos bairros em evento realizado na noite de terça-feira (25). Estiveram presentes, além dos idealizadores, o presidente Romildo Bolzan Júnior e o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. Não se trata de tão simplesmente colorir os prédios e casas, mas um auxílio para tornar o local interessante a comércio e visitação. Diferente do que ocorre hoje em dia. 
 
"Era uma iniciativa do presidente Romildo [Bolzan Júnior] já definida durante sua campanha. Ter uma área de responsabilidade social com a comunidade do entorno da Arena, que é periférica na cidade. Um equipamento como nosso estádio tem uma série de implicações de transporte, mobilidade, ocupação de vias, limpeza urbana. Tudo isso gera impactos na comunidade. Tivemos contrapartidas sociais da construtora que ainda estão em aberto. Mas o clube vai investir mais. Começamos a construir um diálogo para melhorias do bairro. Não queremos substituir a prefeitura, mas o clube vai passar a atuar mais como ator social ali", explicou Alexandre Meyer, Conselheiro do Grêmio e um dos idealizadores do Projeto Bairro Tricolor. 
 
O exemplo está na Argentina. O bairro de La Boca também era periférico e até hoje de alguma forma perigoso. Mas com a força da Bombonera, estádio do Boca Juniors, gerou uma onda de comércio em seu entorno. Com auxílio do clube, se tornou um 'portão de entrada' para visitantes. E é o que o Grêmio quer fazer na Arena. 
 
"A ideia é envolver a comunidade na integração de melhorias em canteiros, praças, estruturas. Uma campanha de pintura nas cores do Grêmio de casas e prédios, com apoio de iniciativa privada. Além de auxílios de engenheiros e arquitetos na elaboração de projetos de recuperação nas edificações. Um ambiente integrado do ponto de vista arquitetônico, do azul da Arena com as cores da comunidade. E precisamos de apoio da comunidade para isso", explicou. 
 
"É algo um pouco parecido com o que existe em La Boca. O Caminito [rua próxima a Bombonera] passou a ser região turística de Buenos Aires. Antes era pobre e degradado. E está pintado todo de azul e amarelo. Foi integrado no circuito turístico, sem descuidar as demandas sociais da comunidade. Podemos ter solidariedade com isso. Todos saem ganhando", completou. 
 
Rivalidade pode ser empecilho? Grêmio acha que não
 
E se algum colorado se negar? A rivalidade entre os dois grandes clubes de Porto Alegre poderia interferir no projeto gremista? Segundo Alexandre, não. Mesmo sem querer interferir no direito das pessoas em escolherem a cor de suas casas, ele espera um convencimento a partir das melhorias propostas ao bairro, atualmente bastante pobre. 
 
"O clube não tem condições de interferir no desejo das pessoas ou sua liberdade. Mas queremos criar um processo de convencimento para termos um bairro mais bonito, atrativo e rentável. Haverá uma valorização de imóveis também ali. Temos muitos colorados e gremistas na região. Mas se as lideranças nos apoiarem, o colorado poderá ter sua casa branca. Queremos que ele também se sinta contemplado com um bairro melhor", disse. 
 
O dinheiro para a 'pintura' do entorno da Arena partiria de parcerias com a iniciativa privada e a prefeitura de Porto Alegre. O clube também entra como interessado neste ponto. E a ideia é colocar a Arena entre os pontos turísticos da capital, e, em um processo mais longo, também lucrar com isso. 
 
"Hoje o ônibus de turismo passa, por exemplo, pelo estádio do nosso rival. Que tem mais esta situação por conta de sua localização. Mas queremos que a Arena também esteja inserida nisso. Vemos muitos turistas indo conhecer a Arena, de fora do Estado e de outros países. Com isso, a partir também do momento em que o clube assumir a gestão do estádio, poderemos pensar, em um futuro distante, também termos mais vendas, mais exposição de marca…", ponderou. "Mas o mais importante é mostrar que o Grêmio não vira as costas para a comunidade dali", finalizou. 
 
O projeto será lançado oficialmente pelo clube no dia 13 de setembro. Será quando as primeiras imagens do 'Bairro Tricolor' serão divulgadas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =