Felipão muda realidade do Grêmio, resgata estilo e sonho de brigar no topo

postado em: Notícias | 0

Luiz Felipe Scolari prova a cada dia que seu trabalho no Grêmio não mostrou resultado apenas no 'choque' imposto pela troca de comando. Quase dois meses depois de sua apresentação, o comandante é símbolo da mudança de perspectiva no clube. Antes abatido pela falta de resultados, o Tricolor de hoje está no G-4, resgatou seu estilo e novamente sonha em brigar no topo.   

O resgate proposto por Felipão foi bandeira desde os primeiros dias. O 'espírito' do Grêmio, tão forte no treinador campeão de Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil pelo clube, precisava retornar. E retornou. Aos poucos o time foi se moldando a algo que só quem conhece a camisa azul, branca e preta de perto sabe o que é. 

"Mesmo de longe eu sempre segui o Grêmio. No ano passado, o Renato Gaúcho jogava com três zagueiros e três volantes. Nós temos dois zagueiros e três volantes que chegam muito na área. O que encontramos é um estilo de jogo, parecido com o que o Renato usava, mas que não é meu nem dele, e sim do Grêmio", disse Felipão. 
 
Casualmente ou não, ambos sabem do que estão falando quando o assunto é o Grêmio. Felipão foi um dos maiores, ou talvez o maior técnico da história do clube. Renato Gaúcho é o principal ídolo no coração dos gremistas pelos tempos de jogador. 
 
Agora, com identidade restabelecida, o Grêmio sonha alto. De volta ao G-4, os gaúchos querem ir além, atingir São Paulo e Internacional e quem sabe até o Cruzeiro. 
 
"Os times que estão 8 pontos na frente ainda é possível alcançar. Quando menos se espera, os adversários se superam, fazem o impossível, o Brasileiro é assim. O Cruzeiro ainda vai perder muitos pontos. Mas tem um time bem equilibrado, bem montado, e provavelmente vai ser campeão", reconheceu Scolari. 
 
Mas para atingir este objetivo, o ataque precisa melhorar. Com apenas 19 gols marcados em 24 jogos e um dos piores retrospectos da competição, o setor ofensivo é o principal motivo de preocupação da comissão técnica gremista. 
 
"Estamos muito bem na defesa, mas não será só a defesa que vai nos fazer chegar onde queremos. Temos que melhorar o ataque, os gols. Trabalhamos muitos aspectos específicos. O comportamento do grupo nos faz muito acreditar que podemos estar entre os quatro da Libertadores. Não podemo esquecer que temos seis ou sete times disputando três vagas. Uma já é do Cruzeiro. E podemos evoluir neste aspecto de fazer mais gols. Se chegarmos ao quatro ou cinco jogos finais na zona de Libertadores, temos boas possibilidades de permanecer ali pela qualidade tática do grupo", reiterou o técnico. 
 
Os jogadores do Grêmio retornam para Porto Alegre na quinta-feira. O próximo compromisso será diante do Botafogo, domingo, novamente no Rio de Janeiro. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 14 =