Três cirurgias em menos de um ano. O que aconteceu com o coringa do Inter?

postado em: Notícias | 0

Eduardo Sasha usa o número nove às costas, mas joga em todas do meio para frente. Com Abel Braga, Diego Aguirre e Argel Fucks foi um coringa para salvar o setor ofensivo do Internacional em vários jogos. Mas o tornozelo direito não aguentou. Em um período inferior a 12 meses, ele passou por três cirurgias e agora encara uma inflamação no pé direito.

O pé direito teve uma lesão subcutânea após o último procedimento cirúrgico, realizado em nove de setembro, e Sasha passou a utilizar bota de gesso para imobilizar o local e conseguir cicatrizar os pontos. O esforço, contudo, não o deixará jogar ainda em 2015.

Para chegar até o estágio atual é preciso viajar no tempo. Em 1º de outubro de 2014, gozando de boa fase após ir bem contra Criciúma e Coritiba, Eduardo Sasha levou a pior em um treino e sofreu lesão por estresse no tornozelo direito. Dois pinos de titânio e muito esforço não ajudaram ele a voltar ainda naquela temporada.

Corta para 2015. Titular em 10 jogos do Internacional na Libertadores, Sasha se afirma como peça importante no esquema de Diego Aguirre. Obtém passaporte europeu, chama atenção de clubes do exterior e volta a ter problema com o tornozelo. Em 28 de maio, após ajudar o Colorado a eliminar o Independiente Santa Fe-COL, ele realiza uma artroscopia. O procedimento eliminou o contato de um osso com outro no tornozelo. Extraoficialmente o clube gaúcho reclamou da violência do time colombiano e viu na postura um agravante para o problema do seu coringa.

Menos de quatro meses depois, em nove de setembro, outra cirurgia. A terceira vez foi para retirar um pequeno pedaço de osso que se soltou após choque em partida contra o Palmeiras. De novo no tornozelo direito. Mesmo depois da troca de técnico, Argel pegou o lugar de Aguirre, Sasha estava em alta. E vem daí o caso atual.

Precisando vencer para subir na tabela, carente de peças, o Inter acelerou o processo de retorno de Eduardo Sasha, segundo pessoas próximas ao jogador. A volta precoce custou os pontos no tornozelo. O choque constante nos treinos causou a inflamação, impediu mais atuações. Encerrou o ano mais cedo.

No meio de tudo isto, Inter e CBF revelaram os testes positivos de Nilton e Wellington em exames antidoping. O STJD autorizou exame surpresa em todo elenco do Colorado e Sasha, lesionado, não participou. Foi a porta aberta para que o nome dele surgisse em boatos sobre um terceiro caso. O clube gaúcho, a comissão de controle de dopagem da CBF, o estafe do jogador e até a Federação Gaúcha de Futebol – que é informada sobre casos assim, negam. Com veemência.

"Não existem novos casos no Internacional, nem nos exames de jogo e nem das amostras coletadas no CT do clube. Os resultados do exame surpresa saem na próxima semana. O Eduardo Sasha estava lesionado e houve bom senso para não fazer ele deixar o repouso e ir ao clube", afirmou Fernando Solera, presidente da comissão da CBF. "O Sasha está se recuperando de um procedimento cirúrgico, não existe nenhum fundamento neste tipo de boato. É algo irresponsável, ridículo", disse Carlos Pellegrini, vice de futebol do Inter.

Autor de oito gols em 38 jogos no ano, Eduardo Sasha chegou a estar na mira do Al-Jazira. O time dos Emirados Árabes é treinado por Abel Braga, que na virada de 2013 para 2014 pediu para ficar com o meia-atacante. À época o camisa nove voltava de empréstimo do Goiás e poderia ser usado como moeda de troca no mercado. Ficou e só foi jogar mesmo em setembro. Agora é preciso um novo começo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dez =