Abel confirma Ygor e Ernando na quarta e fala em título

postado em: Notícias | 0

Sem rodeios, o técnico do Internacional, Abel Braga, confirmou o volante Ygore o zagueiro Ernando para o jogo da próxima quarta-feira contra o São Paulo no Beira-Rio pelo Campeonato Brasileiro. Após a partida deste sábado no Serra Dourada, Abel salientou que sua equipe jogou no sacrifício para derrotar o Goiás por 1 a 0 e dormir na liderança. O treinador diz que todos estão com vontade de conquistar o tetra:

– Não queremos uma equipe com vontade de ganhar jogo. Queremos ter vontade de ser campeões. Ainda falta muita coisa, mas já se passou um terço do campeonato e alguma coisa de importante tem sido feito. Com sacrifício e espírito de equipe.

O Inter termina o sábado na liderança do Brasileirão. O time teve altos e baixos, mas sempre dominou seu adversário. Foi recompensado com a vitória por 1 a 0, obra de um gol contra de Pedro Henrique após cruzamento de Fabrício. Se o Cruzeiro perder diante do Santos, domingo, no Mineirão, mantém a ponta do campeonato no fechamento da rodada.

Veja as estatísticas de Goiás x Inter

Leia mais notícias sobre o Inter

Confira a tabela completa do Brasileirão

– Estivemos sempre muito mais perto do gol do que o Goiás. Está de bom tamanho a vitória. Há muito pouco tempo, a distância para o Cruzeiro era de nove pontos. Fizemos muito por isso (liderança). Foi uma vitória com grau de dificuldade muito grande – analisou Abel Braga.

O técnico colorado adiantou que Ygor, que jogou na vaga de Willians, segue no meio campo contra o São Paulo. Ernando, que entrou no lugar de Paulão, também continuará na equipe. Abel elogiou também a participação do garoto Leandro e de Jorge Henrique, que entraram no segundo tempo:

– O Leandro sentiu um pouquinho por ser menino, mas conseguiu dar a velocidade que a gente queria. É um jogador que estamos trabalhando aos poucos.O Ygor está escalado para quarta, não tem historinha, contamos com todo mundo. Já com o Jorge Henrique, tenho cometido algumas injustiças, não de forma proposital. Estou feliz por ele, é um jogador muito inteligente. A respeito das críticas de que teria poupado jogadores na partida contra o Ceará pela Copa do Brasil na última quarta-feira, Abel rebateu e falou que depende sempre do trabalho dos fisiologistas e médicos do clube:

– Poupei nada. Os jogadores não iam suportar esse campo pesado, grande, a umidade. Para eu escalar, tenho de ter o OK do Departamento de Fisiologia e o Departamento Físico. Não vou passar por cima deles nunca, a não ser num caso excepcional. Vamos disputar a Sul-Americana para ganhar, não tenha dúvida disso. 

Como foi o jogo

Antes do jogo, o Goiás, clube onde Fernandão se projetou para o futebol, prestou suas homenagens ao ídolo. Pequenos torcedores se perfilaram de modo a formar o número 9 no campo, e familiares do ex-atacante receberam placas e camisas com mensagens alusivas ao capitão.

Com a bola rolando, foi o Inter que tomou a iniciativa. O lado direito, sempre perigoso pelas tabelas entre Aránguiz e D'Alessandro, ganhava as subidas de Claudio Winck como mais uma opção de passe.

O Goiás permanecia encurralado, sem alternativas para sair jogando diante da marcação adiantada do Inter. Dida era um mero espectador, e as chances começaram a aparecer. Aránguiz cruzou para um cabeceio alto demais de Rafael Moura. Alex recebeu de Fabrício e girou para bater de pé direito, rente à trave de Renan. O gol parecia questão de tempo.

Aos poucos, porém, a intensidade da movimentação diminuiu, e o Inter parecia repetir o filme de outras jornadas mal-sucedidas. Mantinha a posse de bola, trocava passes, tinha volume de jogo, mas pouco fazia para ameaçar. Para piorar, o adversário se tornara perigoso, em parte por erros do próprio Inter.

Fabrício foi surpreendido fora de posição por um lançamento longo de David para Thiago Mendes, mas Juan foi atento na cobertura e travou o chute. Um passe equivocado de Ygor iniciou o contra-ataque que deixou Bruno Mineiro na cara do gol, e Ernando o desarmou quando se preparava para chutar. O camisa 14 voltou a salvar quando o Goiás fez linha de passe na área colorada e deixou, novamente, Bruno Mineiro de frente para Dida.

Enquanto levava sustos atrás, o Inter seguia próximo à área adversária, mas as investidas mais incisivas eram raras. No que talvez tenha sido o lance de mais perigo antes do intervalo, Aránguiz recebeu de D'Alessandro e, quando já armava o chute de pé direito, foi travado por Lima.

Abel tirou Ygor para a entrada de Jorge Henrique no intervalo, e o Inter retornou com ânimo renovado. Voltou a insistir pela direita, e passou também a ter uma jogada forte pelo outro lado, com o apoio de Fabrício e as tabelas com Alex e Jorge Henrique.

Quando a equipe parecia prestes a uma recaída ao estilo lento e sem estocadas objetivas, veio o gol para garantir a vitória. Fabrício foi à linha de fundo e cruzou rasteiro, Renan passou-se da bola e Pedro Henrique mandou para o próprio gol, aos 31 minutos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 2 =