Parabéns Avicultores! 28 de agosto, dia da Avicultura e do Avicultor!

postado em: Notícias | 0

Galinha, um dos primeiros animais domésticos que chegou ao Brasil, merecendo espaço na célebre carta na qual Pero Vaz de Caminha narrando novidades da região, relata momento que índios se deparam com ela, escreveu: “Mostraram-lhes uma galinha, quase tiveram medo dela, não lhe queriam pôr a mão e depois a tomaram como que espantados”. Não se pode afirmar que portugueses tenham deixado, nessa primeira viagem, quaisquer animais domésticos na costa da Bahia, certo que em 1503, expedição exploradora de Gonçalo Coelho, que percorreu costa brasileira até baia do Rio de Janeiro, trouxe casais de galinhas que se aclimataram a região, passando a se multiplicar, eram espécies de origem mediterrânea, sendo a raça mais conhecida a Brown Leghorn, na introdução das raças de galinha asiáticas e orientais, no período colonial, da terra foi se transformando, originando à vulgarmente conhecida galinha caipira, aves eram criadas soltas próximas às habitações, demorando 24 semanas ao abate, próximo a 2,5 kg.

Capacidade das aves em produzir produtos alimentares de grande valor nutritivo, com investimento baixo, colocou produção desses animais entre uma das atividades mais importantes das famílias rurais, sendo agricultura familiar inicial forma de criação de galináceos, antes do processo de crescimento e expansão ao Brasil afora, Primeiros dados estatísticos sobre produção comercial de aves e ovos no Brasil surgiram em Minas Gerais, em 1860, quando começou venda de galinhas a outras regiões do País, em 1860/61 quantidade exportada por Minas Gerais era de apenas 40 mil kg de aves vivas. Em 1910, esse total saltou para 3.123 toneladas, no Rio de Janeiro, em 1904, as exportações deram conta de um total de 1.048 toneladas de aves vivas, em 1911 a venda atingiu 1.568 toneladas, incremento de 40%%. Em razão da necessidade de abastecer mercados, já gigantescos, teve início em 1930 processo de modernização e de produção em escala da avicultura no País, nessa época animais eram abatidos com 16 semanas, o que tornava a produção onerosa e preço do frango elevado.

No final dos anos 50, Região Sudeste, principalmente, em São Paulo, avicultura brasileira ganhou impulso com avanços da genética, bi seguridade com desenvolvimento de biológicos, nutrição, manejo e equipamentos específicos à criação, rango de corte passou a ser vendido com menos idade, permitindo queda no preço de venda e com isso o frango, que antes era um prato especial de festas e domingo, passou a ser parte do cardápio de refeições diárias. Hoje, frangos de corte são abatidos próximos a 40 dias de idade com peso médio acima 2,0(dois) kg, conversão alimentar em torno de 1,5kg de ração para atingir um kg de frango vivo, com grande viabilidade no final dos lotes. Brasil conquistou há uma década o primeiro lugar na exportação de carne de frango, sendo hoje um dos três maiores produtores do mundo. Vivemos uma concentração do setor em dois grandes grupos e cooperativas, mas produção brasileira de carne de frango atingira com certeza incremento como ocorre sempre. Extraordinária evolução mostra que pesquisas na área de nutrição, melhoramento genético, bem estar, saúde avícola, gestão empresarial e de pessoas tornarão indústria avícola mais moderna, científica e profissional do agronegócio brasileiro e mundial.

Brasil e líder em exportação, terceiro em produção, atrás dos EUA e China e cenário de concentração da avicultura industrial brasileira, se aproxima de 80% da produção com os grupos citados acima, mas setor não se resume a isso, temos a postura em expansão, em como outros segmentos em processo embrionário ou com muito por fazer. Insumos agrícolas, que alimentam aves, é base dessa cadeia de sucesso e só por isso garante nosso País na liderança absoluta nos próximos anos, em razão de área, clima, tecnologia aumenta de produção alinhada ao crescente ganho de produtividade, que ainda temos muito a evoluir. Credito ao setor, logística de transporte, desburocratização, armazenagem, gestão com profissionalismo são alguns gargalos que o novo Presidente eleito do Brasil devera ofertar a cadeia, pois nesses aspectos estamos defasados em relação à concorrência internacional. Avicultura oferece uma carne nutritiva, um ovo saudável, com acesso de todas as classes sociais, então no dia da Avicultura, hoje, 28 de agosto, reflitamos da importância desse segmento no agronegócio brasileiro que impulsiona nossa economia, sendo um projeto sustentável no campo social, gerando empregos, segurando homem no campo, no cenário ambiental, utilizando pouca extensão de terra, atendendo todas as normativas em andamento e no aspecto econômico, impulsiona o respeito do país no cenário internacional e geração de renda do campo ao mercado. Parabéns Avicultores, que de uma forma direta ou indireta atuam na Avicultura brasileira e internacional.

Valter Bampi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + quinze =