Sasha ganha espaço no Inter da Sul-Americana para tentar deslanchar de vez

postado em: Notícias | 0

Eduardo Sasha embarcou para Abu Dhabi, em 2010, para ser uma espécie de Luiz Adriano quatro anos depois. Uma das promessas da base do Internacional naquele ano, ele foi para o Mundial de Clubes com a missão de se valorizar, assim como o companheiro fez em 2006, e quem sabe desequilibrar. O fracasso nas arábias levou o plano para o buraco e somente agora ele volta a ter uma sequência no time principal.

Depois de ser titular diante do Palmeiras, no sábado pelo Brasileirão, o antigo prodígio – que tinha multa rescisória de 50 milhões de euros logo após ser promovido para o time principal, deve seguir na escalação para o jogo de volta contra o Bahia, pela Copa Sul-Americana.

Uma chance de ouro para o meia-atacante de 22 anos, com 16 jogos na temporada e que já teve uma atuação definida como espetacular por Abel Braga. Mas que recentemente levou um puxão de orelhas publicamente do mesmo técnico encantado antes.

"Em 2010 eu tinha 18 anos, subi cedo. Não estava bem preparado ainda. A saída foi muito boa para amadurecimento. Só vim evoluindo e acrescentando na minha carreira", disse Sasha ao comentar uma nova chance quatro anos depois.

Após viajar com Celso Roth, D'Alessandro e companhia para o Mundial de Clubes nos Emirados Árabes, Eduardo Sasha foi emprestado ao Goiás. Em 2012 e 2013 cumpriu aquilo que os dirigentes queriam: adquirir bagagem, encarar campos ruins, jogos duros. Adversários truculentos. Deixar de ser uma promessa.

Com a saída de Otávio, vendido para o Porto, ele tem caminho aberto para crescer na hierarquia interna do elenco. Por isto, o jogo em Salvador diante do Bahia vira uma ótima chance. Mesmo que a competição não seja prioridade para o treinador. A posição, aliás, beneficia o garoto, que ganha chance para que os titulares sejam preservados.

"A gente pensa como uma oportunidade enorme. É complicado de reverter o resultado fora de casa, mas vamos focados para conseguir a classificação. Sabemos que o foco principal é o Brasileiro, mas não podemos esquecer deste jogo. É difícil e será um jogo de oportunidade para a gente", completou.

Na partida de ida da fase nacional da Sul-Americana, em Porto Alegre, o Inter foi surpreendido e perdeu por 2 a 0 para o Bahia. O time de Gilson Kleina entra em campo, na próxima quinta-feira, podendo perder por até 1 a 0 que segue no torneio. Em caso de vitória pelo mesmo escore, o Colorado leva a decisão da vaga para os pênaltis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − catorze =