Inter tem a chance de se redimir contra ‘grandes’ e garante estar prontoCO

postado em: Notícias | 0

O Internacional é vice-líder do Campeonato Brasileiro, mas sem mostrar força contra os times que compartilham o topo da tabela com ele. Com somente uma vitória diante de equipes que estão no bloco de cima – contra o Grêmio, o Colorado encara o Cruzeiro, em Belo Horizonte, podendo se redimir do aproveitamento pífio neste nicho da disputa.

Ganhar do time comandado por Marcelo Oliveira, no sábado – em jogo da 26ª rodada, será a redenção para um Colorado que tem se mostrado forte perante equipes da zona intermediária e efetivo contra os mais próximos da ponta debaixo da classificação. Frente os oito primeiros, o aproveitamento vermelho é de 22%.

"No jogo as veras, com o São Paulo, a gente não conseguiu ganhar. Demos mole. Não podemos errar novamente", alertou o lateral esquerdo Fabrício, citando a derrota em casa para Ganso, Kaká e companhia.

A falta de vitórias contra os grandes, ou os integrantes do G-4, é o grande calcanhar de Aquiles. Tanto que Juan, um dos líderes do vestiário, saltou de pronto para contra argumentar quando questionado sobre o 'problema'.

"O Cruzeiro também teve (derrotas para times da ponta de cima da tabela), as quatro derrotas deles foram para times grandes. Isso é normal", opinou o zagueiro.

No Beira-Rio, entretanto, é voz corrente: o Internacional não pode mais adiar uma vitória contra o pelotão de frente. Ainda mais em se tratando do Cruzeiro, líder e que pode ficar três pontos mais perto.

"O nosso time está maduro, teve tropeços e aprendeu. Essa é a hora de mostrar o que a gente quer no campeonato", resumiu Fabrício. "Temos a chance de vencer um time que é o melhor do campeonato. É um jogo importante, não temos dúvida", concordou Juan.

Antes de tentar quebrar sua escrita no Mineirão, Abel Braga precisa resolver um problema de última hora. Eduardo Sasha, destaque nas últimas partidas do Internacional sofreu uma fratura no tornozelo direito, passou por cirurgia e só volta a jogar em 2015. Com uma vaga sobrando, o treinador tem três alternativas: escalar mais um volante – que deve ser Willians, colocar outro meia – Alan Patrick e Valdívia são as opções, ou escalar Wellington Paulista e Rafael Moura juntos no ataque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 6 =