Felipão fez campanha semelhante a Renato no Grêmio. Faltou tempo para vaga

postado em: Notícias | 0

Felipão assumiu o Grêmio na 14ª rodada do Brasileirão. Em 24 jogos pelo certame nacional, conquistou 12 vitórias, teve cinco empates e sete derrotas, que gera aproveitamento de 57%. Campanha semelhante a de Renato Gaúcho, que terminou o Brasileirão passado. Então, por que o resultado prático não foi o mesmo e neste ano a vaga na próxima Libertadores se tornou impossível? Faltou tempo. Renato pegou antes de Scolari e assim acabou com o vice-campeonato. 

Quando Scolari passou a comandar o time gaúcho, Enderson Moreira tinha deixado a equipe com 12 jogos disputados [uma partida foi comandada pelo interino André Jardine]. Foram cinco vitórias, quatro empates e três derrotas, aproveitamento de 52%. Scolari assumiu na 10ª colocação, fez sua campanha mas faltando um jogo para o fim do torneio, a máxima pontuação alcançada pode ser 63, que torna vaga na próxima Libertadores algo impossível. 
 
Já Renato viu seu antecessor, Vanderlei Luxemburgo perder emprego antes. Luxa deixou o Grêmio após somente cinco jogos de Brasileirão. O time tricolor tinha duas vitórias, dois empates e apenas uma derrota, com aproveitamento exatamente igual a Enderson, 52%. 
 
A diferença que se refletiu nos números foi exatamente o tempo que o ex-atacante teve a mais que o atual técnico do Grêmio. Renato conseguiu comandar o time por nove jogos a mais, começou antes a reorganização da equipe e assim obteve sucesso. A insistência com Enderson Moreira freou algo melhor para esta temporada. 
 
Portaluppi comandou o time em 33 partidas. Foram 16 vitórias, nove empates e oito derrotas, aproveitamento de 57,5%. Semelhante a Felipão. 
 
Em números absolutos, o Grêmio de Scolari foi o que menos pontos somou nos últimos anos. Mesmo que vença a última partida, diante do Flamengo, o Grêmio chegará no máximo a 63 pontos. Sendo que no ano passado terminou a temporada com 65 e em 2012, quando Luxa comandou a equipe em todo Brasileiro, foram 71 conquistados. Apenas em 2011 quando o Brasileirão teve três treinadores, Renato Gaúcho, Julinho Camargo e Celso Roth, menos pontos foram obtidos. Naquela temporada, apenas 48 deixaram o time em 12º. 
 
Nesta terça-feira, o elenco se reapresenta para o último compromisso do ano. Contra o Flamengo, no domingo, um time de jovens com muitos meninos das categorias de base será usado já que não há mais nada em disputa. 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =