Azul no Inter não! Promessa da base muda nome por causa da rivalidade

postado em: Notícias | 0

A rivalidade entre Internacional e Grêmio pode muito bem ser medida pelos costumes dos torcedores. É comum encontrar um gremista que se recuse a vestir qualquer peça de roupa vermelha ou um colorado que não admite ter a cor do coirmão no armário. O mais recente caso desta dicotomia gaúcha fez Alisson Azul se tornar Alisson Farias.

O meia-atacante, que marcou o primeiro gol do Inter sub-20 em cima do Vitória, no segundo jogo da final da Copa do Brasil da categoria, mudou o nome de guerra ao pisar em Porto Alegre. Deixou para trás o apelido que ganhou nos tempos de Atlético-PR para se adaptar a uma realidade onde nada escapa da já clássica grenalização.

A incessante luta do azul contra o vermelho, e vice-versa, já gerou adaptações tão radicais como a troca do nome de Alisson. No final dos anos 1980, o Grêmio conseguiu fazer a Coca Cola criar banners em preto e branco para serem instalados no estádio Olímpico. O Inter, no começo dos anos 2000, assinou com o Banrisul e forçou o banco a criar logomarcas sem o tradicional tom do rival.

O motivo da troca, portanto, é óbvio e não gerou resistência por parte do camisa 11 da base do Inter. Mesmo que o apelido de Azul tenha sido adquirido antes de iniciar a carreira no campo. Talvez até pela proximidade com a dupla Gre-Nal, pois o garoto é natural de Lages, Santa Catarina. Junto com os dribles rápidos no futebol de salão, ele ganhou notoriedade e levou a alcunha das quadras para o gramado.

"Eu já conheci ele com esse apelido, lá em 2010. Era dos tempos do salão e ficou, pegou mesmo", conta Erasmo Damiani, ex-gerente da base do Atlético-PR e que trabalhou com Alisson, atualmente Farias, por quase dois anos. "A origem eu não sei (risos)", completa.

E é difícil encontrar a versão oficial para o apelido. A única certeza é que a alcunha segue sendo usada na cidade natal de Alisson. Com a ressalva de que agora este pequeno detalhe foi deixado de lado por motivo de força maior.

Destro e contando com a velocidade como grande trunfo, Alisson é tratado como uma das grandes promessas da base do Colorado. Já conquistou o título brasileiro sub-17 e também o estadual na categoria pelo Inter. Nesta terça-feira, em Salvador, Alisson marcou um belo gol e abriu o placar da vitória vermelha no Barradão (2 a 1), que garantiu a taça da Copa do Brasil sub-20.

O contrato dele, válido até abril de 2015, já está em processo de renovação. Ao lado de Bruno Gomes e Andrigo, Alisson forma o trio que pode ser promovido para testes na arrancada do ano que vem. Mas tudo isso sem levar mais o Azul junto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − quatro =