Contratos longos e trintões. Inter de 2015 pode ser quase igual ao de 2014

postado em: Notícias | 0

O Internacional já está com a cabeça em 2015. No sábado, o Colorado encara o Figueirense para garantir vaga direta na fase de grupos da Libertadores e todas as benesses possíveis disto. Ao mesmo tempo, a análise do elenco atualmente comandado por Abel Braga mostra que o time do ano que vem poderá ser muito parecido com o atual. Contratos longos e jogadores na faixa dos 30 anos explicam o efeito de grupo congelado.

Só em jogadores na faixa dos 29 aos 33 anos, são nove casos de permanência após a virada do ano. A idade também dificulta negócios mesmo em nomes que não estejam no time titular, exceção feita a D'Alessandro – capitão do time e que renovou até 2017 em outubro.

A fotografia repetida explica, por exemplo, o movimento cauteloso do clube no mercado. Mesmo com a eleição presidencial ainda pela frente, nenhuma das chapas fala em pacote de reforços ou grande mudanças. Um zagueiro, um lateral direito e outro atacante são as posições mais ventiladas.

Entre os trintões do elenco atual estão Ygor, volante contratado em 2012 e que nunca se afirmou como titular, Juan (35 anos) , Wellington Paulista (31) e Jorge Henrique (32). Todos com vínculo até o final do ano que vem. Dida, aos 41, também tem contrato até dezembro de 2015.

Já Alex vai virar o ano no Colorado, aos 32 anos, mas precisa negociar renovação. A prorrogação do vínculo, que atualmente vai até julho, deverá ser aceita por ambos os candidatos – Marcelo Medeiros e Vitório Piffero. Recentemente o camisa 12 afirmou ter recebido sondagens dos Estados Unidos e da China.

Rafael Moura (31), artilheiro do Inter na temporada, mas contestado pela torcida, tem contrato até agosto de 2016. No ano passado, em uma de suas má fases, chegou a receber oferta do México, mas o Inter não concordou com a forma de pagamento e manteve o jogador. Se Abel Braga renovar, deve tentar segurar o camisa 11 até o final do contrato.

"Terminaremos o ano com jovens afirmados, com o time sub-20 sendo campeão da Copa do Brasil. Ou seja, o Inter tem gente na base para ser usada. Queremos utilizar mais a base também", disse Marcelo Medeiros, candidato à presidência do Inter pela chapa 01 sobre o tema.

Por fim, a lista de jogadores acima dos 30 anos chega a Nilmar e D'Alessandro. O atacante voltou do Qatar e, após negociação modorrenta com o empresário Orlando da Hora, assinou até 31 de dezembro de 2017. Mesma data do término do novo contrato de D'Ale, que agora já admite encerrar a carreira no Beira-Rio e não mais no River Plate.

"Não se faz um time só com guris e nem só com jogadores de 30 anos. No vestiário é preciso ter dois times, dois times completos", afirmou Vitório Piffero, candidato à presidência do Inter pela chapa 02.

A eleição presidencial do Inter para o biênio 2015/2016, que também marcará o início das movimentações do clube no mercado, acontece no próximo dia 13.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − dezoito =