Novo talismã do Inter já foi dispensado na base e começou como lateral

postado em: Notícias | 0

O nome é Taiberson, mas pode chamar de talismã. Autor de dois gols no Campeonato Gaúcho, o meia-atacante ganhou espaço em um elenco recheado de medalhões e está em vias de ganhar chance como titular da equipe considerada ideal. O sucesso com o técnico Diego Aguirre por muito pouco não virou impossível. Aos 16 anos, depois de atuar até como lateral esquerdo, ele foi dispensado da base do Colorado e só voltou no ano passado.

Taiberson, talismã por entrar durante os jogos e marcar contra Brasil-RS e Veranópolis, jogou como meia, atacante e lateral esquerdo nas categorias de base do Inter. Depois de quatro anos no clube, foi liberado e ficou treinando por conta até achar um novo destino. Acabou indo para o Atlético-PR e lá se profissionalizou. Fez 17 partidas e marcou dois jogos em quase quatro anos no time de Curitiba e ainda tem no currículo um empréstimo ao América-RN.

"Ele sempre teve potencial, mas entre uma categoria e outra não ficou. Foi liberado. A gente conseguiu trazê-lo de volta em 2014 e começou a trabalhar musculatura e parte física no time B. Antes do final do ano chamou atenção da comissão técnica profissional e subiu", conta Jorge Macedo, gerente executivo do Inter, ao citar a promoção com Abel Braga, no segundo semestre do ano passado. "Ele tem muito potencial, tem força e chuta bem", elogiou o zagueiro Juan.

Ainda em 2014, Taiberson fez o primeiro gol com a camisa do clube do coração. Natural de Alegrete, a 500 quilômetros de Porto Alegre, ele marcou contra o Palmeiras em pleno Beira-Rio. A bola na rede e as atuações fizeram o clube renovar o contrato do antes dispensável. Com o vínculo por mais três anos, virou promessa outra vez.

Além da dispensa antiga e da experiência como lateral esquerdo, outra curiosidade chama atenção. Taiberson chegou aos times debaixo do Inter por causa do irmão. Douglas Tuchê, lateral direito quatro anos mais velho, levou o caçula em alguns treinos e os dirigentes e funcionários do Colorado gostaram das brincadeiras do pequeno com a bola. Fizeram a proposta e aos 12 anos a jornada na base começou.

Aos 21 anos, com 1,71m, Taiberson encheu os olhos de Abel Braga – e agora Diego Aguirre, pelo chute potente e força física. O agora desempregado Abel chegou a comparar o novo talismã do Colorado a Wellington Nem, com quem trabalhou no Fluminense, pela velocidade e compleição física. A promessa vermelha da vez tem 60% dos direitos vínculos ao Internacional e prova, a cada dia, que a dispensa em 2010 foi um erro. Corrigido anos depois e transformado em amuleto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − doze =